Apartamento poledance

Local:

São Paulo

metragem:

70

m2
ano:

2014

Produção:

fotografia:

A área social livre e ampla foi a premissa para a criação do layout e disposição dos ambientes neste apartamento. O morador buscava um espaço social integrado, onde pudesse eventualmente organizar festas para receber amigos e familiares. O conceito do projeto partiu da criação, no âmbito social, de uma marcenaria feita sob medida com bancos e mesas de apoio que “abraçam” as pessoas para o espaço central livre, que funciona como um ponto de convivência e interação.

As lajes de concreto aparente no terraço e na sala buscam uma referência underground para o apartamento. O forro de gesso, planejado para ser solto da laje, recebeu fitas de LED convencionais e outras em RGB que possibilitam uma enorme gama de cores de acordo com as vontades do proprietario. Para manter o espaço sempre livre, a tradicional mesa de jantar foi substituída por duas mesas dobráveis de polietileno, que receberam nos tampos uma pintura criada pelo artista Mateus Bailon. Dessa forma, quando não estão sendo usadas, ficam penduradas na parede e funcionam como telas artísticas. Já para as refeições cotidianas, o balcão na ilha da cozinha pode ser estendido se necessario. As cores e os materiais são neutros e basicamente formados por branco e pelo cinza, que aparece no cimento queimado e no concreto aparente das lajes que contrastam com os elementos mais quentes da marcenaria e as cores dos tampos das mesas. As cadeiras vermelhas de Konstantin Grcic pontuam com um tom mais forte e se destacam na sala.