cozinha consul

Local:

São Paulo

metragem:

20

m2
ano:

2017

Produção:

fotografia:

Gui Morelli

O desafio para essa casa dos anos 60 era transformar o lugar em um escritório colaborativo, aproveitando boa parte da sua construção. O projeto foi elaborado para proporcionar novas aberturas aos espaços, inicialmente compartimentados, e conforto térmico e visual para os futuros ocupantes. . Realçar a estrutura original por meio da exposição dos tijolos, recuperar o pátio interno e criar novas aberturas para elevar a circulação e iluminação foram fatores importantes e serviram como base para o projeto arquitetônico. A construção original, toda em alvenaria estrutural de tijolo, contava com uma laje de concreto que apoiava-se nas paredes laterais. Com esse cenário, a demolição de paredes e a criação de novas aberturas foram feitas sob um estudo cauteloso.

As novas aberturas foram elaboradas para receber luz natural nos ambientes e também no corredor de acesso, onde as telhas de amianto deram lugar a um pergolado de madeira coberto com vidro translucido. As instalações elétricas feitas em tubulação galvanizada aparente, facilitam a distribuição sem a necessidade de quebrar paredes e mantem a uniformidade do tijolo – principal elemento do projeto. Pela facilidade na manutenção e por proporcionar um ambiente homogêneo, o cimento queimado foi o material escolhido para o piso. As esquadrias em madeira e o verde abundante das floreiras criam uma composição aconchegante para os usuários dos espaços de trabalho. Apesar de ser um local totalmente corporativo, a sensação que se tem ao entrar no espaço é de estar em casa.